20 de out de 2014

Concreto Totalitário


O concreto se instaurou sobre a cidade, sobre nossas vidas. Furtou todos os espaços, relegando nos à realidade, a realidade concreta, absoluta. Não há espaço para utopia, prendam o poeta, ou melhor: façam-no trabalhar! O concreto é a imobilização da terra, o alinhamento da cidade, é a estagnação, a sobreposição da razão sobre todas as coisas. O metal, o asfalto e o cimento se impõem como uma lei - é preciso progredir! -, e como ordem, precisam ser constantemente reforçados. O poder é a afirmação do poder, um desvairo, uma insistência: constantes gritos, menosprezo, policiais andando nas ruas... Pode tapar as rachaduras quantas vezes conseguir, a Natureza, anárquica, jamais cessará.

Uma flor nasceu na rua rua. Furou o asfalto, o tédio o nojo e o ódio